Publicado por: @juba7 | agosto 11, 2008

Vinho argentino mais barato no Chile?!

Comprar vinho diretamente na vinícola é mais barato, certo? Nem sempre. Pelo menos foi o que constatamos em Mendoza e Santiago. Em se tratando de vinhos, não existe a história do “direto da fábrica”. Claro que tem sempre aquela lojinha no final da visita oferecendo para venda os diferentes rótulos produzidos ali. Mas os preços, em geral, não são tão acessíveis como pensamos…

Na Concha y Toro (em Santiago) os vinhos são mais baratos, mas a diferença de valor é muito pequena em relação às adegas especializadas ou mesmo em relação ao supermercado local (e não se iluda, mesmo na própria vinícola você não vai encontrar um Almaviva ou Don Melchor por menos de US$120,00). Na Achaval Ferrer (Mendoza) os vinhos estavam pelo mesmo preço vendido nas adegas. Achei um absurdo, já que eles não gastam com transporte, aluguel de loja, funcionários, etc. Na minha opinião, poderia ter um desconto para os que fizeram a degustação.

Aliás, por mais bizarro que possa parecer, encontramos vinhos argentinos mais baratos no Chile e vice-versa. Como pode isso? Simples. Na Argentina há inflação e, com isso, quase todos os vinhos ficam mais caros. No Chile a inflação é bem menor e os vinhos argentinos acabam sendo vendidos pelo mesmo preço desde quando ele foi importado. Como vinhos obviamente não estragam (se corretamente armazenados, é claro) e podem passar muito tempo na prateleira, a diferença de preço pode ser considerável se você calcular a inflação argentina acumulada em dois ou três anos e compará-la com a chilena.

Um segundo fator talvez explique por que vinhos chilenos podem estar mais baratos na Argentina: suponhamos que um vinho chileno de excelente qualidade, da safra 2003, foi repassado em 2004 para uma loja de vinhos argentina. Suponhamos também que em 2005 esses vinhos da safra 2003 já estão esgotados em todo o Chile. E pra piorar, a safra 2004 que seria comercializada em 2005 não teve uma boa colheita por causa de uma forte chuva de grazino. Sabemos que quando uma safra é praticamente perdida, há menos uvas para produzir vinhos e, conseqüentemente, se produz menos garrafas. Nessa nossa hipótese, a safra de 2004 vendida em 2005 chegaria ao consumidor com um valor muito mais alto do que a de 2003.

E se você tiver paciência e sorte, corre o risco de encontar lá no fundo da prateleira de uma adega argentina a última garrafa, já empoeirada, de um renomado vinho chileno com a etiqueta no valor de 2004. Essa situação também vale para lojas do Chile que vendem vinhos argentinos. Por isso, fiquem atentos!


Responses

  1. Juuuu, amei o blog. Super bem escrito e informativo :)

    Bjos!

  2. Valeu, Jana!
    Espero que as dicas sejam úteis pra ti.
    Beijos e obrigada pela visita!

  3. Juliana,

    Fico muito feliz por vc ter visitado meu Blog. Seu Blog está nos meus favoritos por ser bem informativo e ter dicas super interessantes, de um lugar que quero muito conhecer em breve, a Argentina.

    Bjs

  4. Meias verdades, na Achaval Ferrer consegue-se sim comprar vinhos mais baratos e para os desinformados consegue-se comprar um produto que não é vendido em outros lugares, seu azeite. Sobre os vinhos procure coisas diferentes, na verdade o que vale a pena não é comprar Almavivas, Melchor ou até mesmo Estibas Reservadas da Catena e sim as coisas que eles só vendem nas bodegas diretamente como Petit Verdot na Altavista, Malbec Mendoza na Achaval hoje já se vende fora). Em Mendoza conhecer bodegas menos difundidas com vinhos sensacionais também é válido como por exemplo Benegas que era de Dom Tiburcio Benegas que foi Prefeito de Mendoza ou até mesmo Bodegas Tikal. Já no comércio local vinhos são encontrados bem baratos em uma cadeia de lojas chilena chamada Falabella.

  5. Legal, Otavio, obrigada pelas suas sugestões. Mas o que eu disse sobre os vinhos não foi chute não, eu vi ao vivo. O Quimera, por exemplo, não só tava mais barato nos empórios como, ainda mais incrível, na carta de um restaurante de Buenos Aires (o Restó), ele tava só dois pesos mais caro do que diretamente na Achaval. Quanto ao azeite, bem lembrado. Não comentei porque simplesmente não gostei dele. Acho que sou meio ortodoxa para azeites. Fico com os portugueses.

  6. Nas vinículas o vinho tem o mesmo preço das adegas pelo fator mais racional do mundo. As vinículas fazem isso pra não queimar a cara de quem trabalha com seus produtos. O produtor pode vender seus vinhos em todas a cidades médias e grandes, com direito a eles serem armazenados deitados e sob refrigeração adequada e seus clientes ainda tem direito a sommelier para ajudar na decisão na hora da compra. Melhor de tudo é que isso ainda é 100% free!!! Porque? Porque as casas especializadas ofereçem tudo isso apenas comprando os vinhos diretamente dos produtores, sem que esses se preocupem com nenhum desses problemas, logística de distribuição, sommelier pra venda, armazenamento e etc… Só se preocupando em produzir e vender. Por isso eles não prostituem o mercado como as importadoras no Brasil o fazem. Trabalho com vinhos a mais de 10 anos, tenho uma loja especializada no segmento e hoje não consigo concorrer com o preço dos sites das importadoras das quais eu compro os vinhos. Uma vergonha!!! Em poucos anos eles vão perder todos os beneficios que os logistas e seus sommeliers conseguiram criar ao longo de anos vendendo vinhos.

  7. Esse fato não acontece só na Argentina, nas caves de vinho do porto o preço cobrado é bem superior ao observado em mercados e lojas especializadas.
    E olha que em regra elas só podem ser acessadas por aqueles que pagaram pelo tour.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: